quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Hipocrisia


“Segundo dados do Ministério da Saúde, calcula-se que são feitos no Brasil cerca de 1 milhão de abortos por ano. Pesquisa do Instituto Guttmacher, de Nova York, calcula que abortos realizados em condições precárias nos países subdesenvolvidos matam 68 mil mulheres por ano. No Brasil, a prática é a terceira causa de morte materna.”

Apesar de vivermos em um país laico, a igreja ainda tem grande força sobre as leis que regem o povo, um exemplo disso é a questão do aborto. A igreja católica é a principal culpada pela morte de milhares de mulheres religiosas que sofrem com uma gravidez de risco, pois para os católicos o aborto é um pecado imperdoável. Penso que o governo ainda teme a força da igreja, e por isso a discussão sobre a legalização do aborto ainda não ganhou força.
A verdade é que quem morre no Brasil em abortos clandestinos, são mulheres pobres, pois o aborto é muito acessível para quem possui poder aquisitivo. A menina da favela que engravida é relaxada e burra, mas a menina rica é a coitadinha, que vai ter seus planos interrompidos por uma gravidez indesejada.
Além de ser a favor do aborto, sou a favor do planejamento familiar, pois se o governo investir na prevenção com certeza poucas mulheres recorrerão ao aborto.
Outra questão pouco discutida é a responsabilidade dos homens sobre a reprodução, pois em um país machista como o Brasil, esquece-se que a responsabilidade de uma gravidez não é somente da mãe. A mulher deve ter autonomia sobre o próprio corpo e exercer sua sexualidade sem preconceitos e sem medo de ser feliz!

3 comentários:

Joel Maraschin disse...

Jú... Parabéns pelo Blog... Teus textos estão show de bola! Saudade do Pessoal.

Acessa o meu blog ae maraschin.blogspot.com

vou te linkar nele. bjooo

Tomas Edson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tomas Edson disse...

Muito legal o Blog e o texto "Hipocrisia", parabéns. Concordo contigo, quando diz que as meninas das favelas são "taxadas" de relaxadas e burras quando engravidam (O que não deixa de ser uma realidade). Mas acredito, e pode até ser uma reflexão absurda, que as meninas que mais abortam, são as meninas ricas afinal: "Elas tem todo o futuro pela frente". Diferente das meninas das favelas que nem sempre tem o futuro pela frente. Posso afirmar (não com certeza) que elas são as que menos abortam, afinal, as favelas estão cheias de crianças ranhentas e escabeladas. E, assim elas VIVEM correndo pelos becos e vielas, de pés descalço. Inocentes como qualquer outra criança!